infinito
21
 
 
A cidade onde apenas eu não existo.
Quando eu crescer e for grande o bastante para ir a algum lugar sozinha,

Eu quero ir para um país bem distante.

Para alguma ilha bem longe.

Eu quero ir para uma ilha sem pessoas.

‎Eu quero ir para uma ilha sem dor ou tristeza.

Onde não existam adultos, crianças, colegas, professores ou minha mãe.

Nessa ilha, eu posso subir numa árvore quando eu quiser.

Nadar no mar quando eu quiser.

Dormir quando eu quiser.

‎Nesta ilha, eu penso na cidade onde só eu não existo mais.

As crianças vão para a escola como se nada tivesse mudado.

Adultos vão para o trabalho como se nada tivesse mudado.

Minha mãe come como se nada tivesse mudado.

Quando eu penso sobre a cidade onde só eu não existo, eu sinto um alívio.

Eu quero ir para longe, bem longe.